Papos na Rede, sem webinar: parada temporária

Category : notícias, Papos na Rede

parada temporáriaEstá difícil para mim, Marcia Ceschini, tomar esta decisão, mas é necessária. Até o final do ano, os webinars do Papos na Rede estão suspenso. São vários os motivos, mas o principal é falta de tempo. Falta de tempo meu, de ir buscar convidados e falta de tempo dos convidados em cumprir com o convite.

Foram realizados quase  100 webinars e tivemos muita gente boa e com informação melhor ainda, sendo compartilhada e trocada conosco em uma hora e meia de conversa. O meu sonho de conversar sobre social media, cresceu, atingiu outras pessoas, abriu mentes, criou conversar digitais, gerou outras ideias e plataformas e permitiu que muita gente boa saisse para o mercado com pelo menos um pouco mais de conhecimento e vontade de trabalhar social media direito.

Nosso querido Papos na Rede, foi um começo para muitos que hoje em dia estão bem empregados e empregando com propriedade a boa social media. Mas tudo é um ciclo, confesso que tocar sozinha, tem sido bem difícil. Mas o blog, a página e o Twitter do Papos na Rede continuarão a compartilhar conteúdo. Para as redes conto com a ajuda do Leandro Cardoso, da Daiana Sigliano e do Vinícius Santos .

Não posso encerrar este comunicado sem agradecer os parceiros desses 3 anos de projeto:  Treina TOM,  Agência Social Tag, Livebuzz, Vilage Marcas e Patentes, Agência Fósforo, além do Tarcízio Silva que sempre usou o Papos na Rede para lançar os ebooks, e tantos outros profissionais queridos como a Samantha Shiraishi, Armindo Ferreira e Estevão Soares, que como muita gente boa, sempre falaram bem do projeto e dedicaram seu tempo aos nossos ouvintes, e claro, vocês, nossos ouvintes e participantes que desde 2010 compraram com prazer a ideia e estavam sempre aqui, participando e ajudando.

É um até breve! Aprendi que uma andorinha só não faz verão, mas não desisti da ideia de compartilhar conhecimento digital. É uma parada, ok?

Obrigada por tudo!

 

Pesquisa traça perfil de profissional de monitoramento em social media

Category : mídias sociais, monitoramento, pesquisa

O Papos na Rede de ontem, mais mais uma vez foi a escolha do profissional Tarcízio Silva para o lançamento de estudo sobre social media. Em uma hora e meia de webinar via Treina TOM, Tarcízio detalhou a pesquisa que realizou para mapear o perfil do profissional de monitoramento em social media.

Do estudo apresentado anotamos os seguintes insights:

  • As áreas de grandes eventos são possíveis tendências para a geração de novos mercados em monitoramento
  • As empresas precisam ser educadas para que valorizem e utilizem os dados monitorados como dados estratégicos
  • As ferramentas que querem melhorar e se aperfeiçoar, devem ficar de olho nos desenvolvedores e profissionais de monitoramento
  • Dica: não olhe só para as agências, olhem tbm para empresas e ofereça o seu trabalho
  • Os profissionais precisam mostrar para as agências e clientes como a análise é feita para que ela seja evoluída.
  • O mercado só vai evoluir se todos os atores em conjunto trabalharem para que isso mude.
  • as agências tradicionais ainda não enxergam a necessidade do digital. Que tal propor parceria para a melhor delas?
  • Nuvem de tags: capacidade de análise, ágil, atualização, que saiba utilizar as ferramentas e conheça o cenário e a empresa
  • Como melhorar? curso, especializações
  • Grupo de discussão monitoramento no Linkedin
  • Grupo de discussão sobre monitoramento no Facebook
  • Quais as fontes de informação? 47,80%  blogs, 30,70% sites e internet, 24,07% grupos e comunidades, 20,90% ebooks e livros e 20,30% colegas
  • Sobre a prática (onde/como aprendeu)? 66,50% autodidatismo, 60,40% material online, 53,80% na própria agência, 31,90% curso de extensão
  • Pós graduação: 20,80% em mkt digital, 15,60% Mkt, 7,80% Mídias Digitais/Novas Mídias, 6,50% com. corporativa.. entre outros
  • Formação: 41,50% tem graduação completa, 33m9% especialização ou MBA e 19% é estudante de graduação
  • Ainda falta padronização e definição do que é o mercado. Com o estudo (ensino) isso seria mais fácil.
  • Como o mercado pode evoluir? Valorização pelas empresas 20,7%, seguida de especialização da função 18,5% e educação 16,3% entre os primeiros
  • Como as ferramentas podem melhorar? customização dos dados, preços, coleta melhor, precisão, abrangência de funções, relatórios e etc
  •  Entre as ferramentas plenas: Scup, Seekr e Livebuzzbr são as mais usadas. Todas ferramentas desenvolvidas no Brasil.
  • Scup, Hootsuite, Tweetdeck, Google Analytics e Seekr estão entre as primeiras ferramentas citadas
  • Hoje os profissionais estão mais atualizados e com mais ferramentas do que ano passado
  • Desse total, a grande maioria trabalha com outras funções além do monitoramento
  • O ideal é que uma pessoa monitore pelo menos 3 marcas, para monitorar com qualidade. Mas existem pessoas q monitoram 10
  • Analisar Imagem/Reputação 65,93%, comparação c/ concorrentes 46,70%, estudo de conteúdo 56,04% e pesquisa/planejamento 54,04%
  • Falta uma importante padronização de funções e cargos no mercado de monitoramento em mídias sociais
  •  Onde esse profissional trabalha? 25,8% trabalha em empresas, 25,3% em ag digital, 12,1% ag de pp e 8,3% em ag de social media
  •  Os estados de SP, RJ, BA e PE são os com mais profissionais atuantes.. detalhe é que são estados com grande número populacional
  • Foi levantado: perfil (+ mulheres nos cargos de monitoramento), regiões (sudeste e nordeste em 1o, seguidos de sul, centrooeste e norte)
  • Link da Pesquisa - http://slidesha.re/PKb7st 
  •  Foram quase 20 dias de pesquisa, com 150 questionários válidos.
  • Muitas agências e consultorias estão oferecendo o trabalho de monitoramento. O foco tornou-se o resultado que esse monitoramento traz
  • O interesse de Tarcízioé a nova profissão que está surgindo e a pouca bibliografia e troca de informação na área

Os slides estão disponíveis abaixo e o link para assistir aqui. Áudio em mp3

A cultura do ao vivo

2

Category : Comunicação Digital, mídias sociais, Papos na Rede, tecnologia/inovação

O Papos na Rede de hoje, com Gabriel Ishida, webinar via Treina TOM, encerrou o clico do ebook Para entender Monitoramento em mídias sociais, organizado por Tarcízio Silva.

Gabriel começou sua fala dizendo que o primeiro encontro social foi através da TV na sala e com o surgimento da internet, esse encontro social passou para as redes e criou o fenômeno do compartilhamento em tempo real.

As pessoas não querem só ver TV ao mesmo tempo que estão nas redes, elas querem mostrar o que estão vendo e convencer sua rede a assistir aos mesmos programas. As marcas que entenderem essa nova forma de audiência e souberem criar estratégias para aumentar esse compartilhamento nas redes, tendem a ter um ganho maior de exposição da marca na internet.

Veja os principais insights de Gabriel:

  • Getglue e Foursquare são exemplos de gamefication com check in nas redes.
  • As pessoas postam para mostrar a outra o que estão perdendo. As marcas precisam saber aproveitar isso e gerar bons resultados
  • Vivemos a cultura do “ao vivo” e exige transmissão em tempo real
  • Consumo integrado = extensão da experiência do usuário. Saiba explorar de maneira interessante
  • A transmídia e storytelling passam a gerar conteúdo em mídias de forma integrada, fornecendo experiência única
  • As smarts tvs são apostas para integração de internet + tv
  • O Super Bowl criou um centro de social media para monitorar em tempo real esse ano
  • O Tiago Dória fala sobre a experiência de segunda tela, onde as marcas podem explorar sua marca no conglomerado de mídia
  • Caminhos: estimular o uso de hashtag, pensar em formas de participação do públicio e direcionar o público p conhecer o site/empresa.
  • Um exemplo é o esporte interativo, que solta hashtag e estimula a postagens nas redes e geram dados p estratégias futuras
  • O monitoramento é essencial para mapear e entender o conteúdo compartilhado pelo público
  • 34% dos brasileiros assistem por dispositivo móvel. O crescimento do 3g é um dos responsáveis por isso
  • O Ibope está de olho nos resultados de pesquisa de mobile e TV
  • As pessoas também recomendam programas para suas redes
  • 52% dos americanos postam no Facebook o que assistem. Pesquisa do eMarketer
  • 27% das pessoas assistem TV e acessam a internet ao mesmo tempo, segundo o Ibope
  • Vivemos a cultura do tempo real e do “eu estava lá”
  • A tv sempre foi consumida de forma social. Já o pc individualiza o consumo da informação ou entretenimento
  • Por que as pessoas compartilham o que estão consumindo? O primeiro ponto é o fato de ser mobile
  • O impacto do compartilhamento tv nas redes em outras mídias.
  • Fala sobre a social tv e convergência. A experiência de ver tv compartilhado nas mídias sociais
  • A internet permite que você fale com várias pessoas pelas redes, ou até mesmo sozinha (no caso do twitter)
  • A tv disputa sua tela com várias telas e isso é uma mudança significativa
  • As mídias tradicionais ganharam companhia dos celulares e computador e ampliou o nosso meio de comentar
  • Antes tinhamos um ritual de consumo midiático, preso em nosso círculo social. A sala de estar e telefone eram os canais de comunicação.

Veja a apresentação dos slides abaixo e link do áudio em mp3:

O ouvir 2.0 e sua importância no monitoramento

2

Category : Comunicação Digital, mídias sociais, Papos na Rede

O Papos na Rede de ontem, foi com Marcos Correia, o Marquinhos. Em uma hora e 20 minutos de webinar via Treina TOM, Marquinhos discorreu sobre a importância da pesquisa, da análise de dados e de “ouvir” o usuário.

O webinar foi baseado no capítulo que Marquinhos escreveu do ebook “Para Entender o Monitoramento em Mídias Sociais“, organizado por Tarcízio Silva.

Alguns dos insights tweetados durante a apresentação:

  • No final fez perguntas e abriu para os participantes, a possibilidade de fazer perguntas sobre e a pesquisa como objeto principal no planejamento
  • Supreender o usuário/seguidor é possível se tiver uma sacada rápida em cima de um pedido do consumidor e a empresa acreditar na ação
  • Cita o caso da Mortons para atender pedido de viajante faminto
  • Mostra o case do Sushibanzai com relacionamento com seguidor
  • A pesquisa é muito importante no monitoramento, não só pelos números, mas para entender os dados
  • Um dos sucessos do Google é passado pelo próprio usuário
  • Indica os livros “A Lógica do consumo” e “Tudo que sei sobre marketing aprendi com o Google”
  • Participa de pesquisa no Facebook sobre o usuário
  • Fernanda Silvestre e Priscila Borges compartilham  link sobre o vídeo “fenda dupla”:
  • Fala sobre o experimento da “fenda dupla”
  • Para planejar é preciso ter informações preliminares, pesquisa
  • O  monitoramento é uma das peças do planejamento estratégico.
  • Fala sobre a necessidade de um bom planejamento em social media

Os slides e áudio serão publicados assim que possível.  Aguarde!

Inteligência Artificial em monitoramento de social media é para ninja

1

Category : Comunicação Digital, Papos na Rede, tecnologia/inovação

É mais ou menos esse o resumo básico do Papos na Rede, realizado ontem, com Bráulio Medina Dias, no webinar do Treina TOM. Medina abordou em uma hora e meia, partes de seu artigo no ebook “Para entender o monitoramento em mídias sociais.”, organizado por Tarcízio Silva.

A necessidade de se criar mecanismos, banco de dados e organizar a busca em métricas e  monitoramentos na social media, pode-se dizer que é um passo dado na direção da web semântica, a web 3.0, pois muito em breve virá junto com a Inteligência Artificial nas tecnologia de informação e comunicação.

Os principais insights de Medina:

  • Tendência de junções de grandes players de TI
  • Faz uma previsão: no próximo 5 anos, os analistas usarão plataformas de redes sociais com banco de dados de texto
  • Cluster são os assuntos que mais tiveram menções iguais ou similares
  • Analistas devem ter um sistema de tageamento de clusters
  • Faz uma simulação de análise da marca Brasil
  • Patricia Prado passou um link sobre estudo de diagnósticos digitais
  • Inteligência Artificial exige algoritimos com bases de dados pré classificados
  • Classificar sentimento exige: definição de regras, treinamento de algorítimos e ataques de nicho
  • A rede neural artificial é parecida com uma rede neural humana
  • Não existe classificação 100% correta, nem humana, nem máquina
  • A parte prática de métricas e monitoramento. É extremamente caro analisar uma a uma. Humanos concordam em 85% das classificações
  • É preciso investir tempo e dedicação na geração de métricas
  • Alcance, sentimento, engajamento e influência estão interligados nas métricas, em monitoramento
  • Como analisar sentimento? Analisar o sentimento bruto e as pessoas que foram impactadas por ele, na rede
  • Quem consome essas métricas e informações? Marketing, pesquisa, desenvolvimento, qualidade, vendas, sac
  • Cold metrics e warm metrics
  • Os índices de perfomance e monitoramento começam a fazer parte desse novo universo social e geolocalizado
  • A mídia e o meio digital permite a atuação em massa, em tempo real
  • Faz uma breve história do monitoramento
  • Fala sobre a necessidade de um bom trabalho de branding e marketing. Marca é uma promessa
  • Explica que trabalha com contas que trazem demandas inovadoras. E que o brasileiro é sempre inovador, gratificante
  • Fala sobre sua atuação profissional, protegendo a má utilização da mídia na internet

Os slides serão disponibilizados abaixo. O áudio pode ser baixado aqui.

 

Um ano de Papos na Rede

1

Category : chat, colearning, crowdsourcing, notícias, Papos na Rede

Hoje, dia 06 de maio faz um ano que um tweet meu, Marcia Ceschini, desesperada por ter com quem conversar sobre mídias sociais gerou o primeiro chat. No dia 06, nos reunimos via Tinychat, sem pauta alguma para iniciar o que seria esse projeto Papos na Rede.

O projeto foi ganhando vida e começou a tomar corpo quando o Tarcízio e Danila Dourado da PaperCliQ se propuseram a lançar o primeiro ebook no Papos na Rede, trazendo autores e um capítulo por semana para debater.

A partir dai, os próprios participantes se mobilizaram para criarmos um QG digital, Chico Montenegro ofereceu criar o blog, Paulo Roberto a hospedagem, Paulo Milreu o domínio e gerenciamento e monitoramento das mídias sociais, Tati Bernardini o registro da marca e assim fomos nos organizando. O contato com o TreinaTOM foi sugerido pelo Israel Degásperi e desde então, o Ederson tem nos atendimento muito bem.

O aniversário foi comemorado ontem, com a palestra do Eric Messa, que gentilmente estendeu sua 1h30 e respondeu todas as perguntas do participantes.

Quem não viu os pontos principais de Eric, pode assitir pelo link do TreinaTOM .  Ou no link em mp3.

Veja os principais pontos:

  • por conta da nossa educação a gente é acostumado a pensar de uma só maneira com o surgimento dos meios digitais nasceram novas formas e formatos de veicular
  • O papel maior é do usuário da plataforma, ele é a mídia de uma marca. A mídia não é necessariamente o Twitter,
    mas sim o uso que o usuário faz dela
  • o processo se automatizou de uma maneira, que não precisa fazer esforços. Estamos só padronizando o processos, a subversão é o que permite o surgimento de algo novo
  • a ideia é trabalhar uma rede com alta densidade, vários links e influenciadores
  • hubs são pontos com muitas conexões nas redes sociais
  • vc usa os influenciadores como: mídia de massa, transmitir p muitos, no modelo antigo de mídia, ou usar os hubs, dentro do público alvo pessoas com poder de influência maior
  • Não está longe de sermos vigiados pelo tanto de exposição que permitimos
  • “estar” dentro das redes é complicado e o usuário precisater consciência dessa complexidade
  • a gente está criando um padrão nas redes sociais. Não há modelo a ser seguido.. ainda é estudo
  • a pessoa tem voz nas redes sociais, não pode ser interrompida.. e sim, administra. Devemos administrar um buzz negativo em uma rede densa, e nunca tentar interromper as conexões
  • Não basta ter conteúdo, é preciso saber trabalhar esse conteúdo através do relacionamento |

Ebook “Mídias Sociais e Eleições 2010″: Papos na Rede é canal oficial de Lançamento

1

Category : chat, livros/ebook, mídias sociais, Papos na Rede, parceria

Com 23 artigos de articulistas convidados e selecionados, o ebook “Mídias Sociais e Eleições 2010″ é a segunda publicação do tipo lançada pela PaperCliQ.  Ano passado o ebook “#MídiasSociais: Perspectivas,Tendências e Reflexões” movimentou a web brasileira e foi tema de diversos Papos na Rede.

Repetindo a parceria de sucesso, a nova publicação será lançada online, hoje, 03 de maio, às 21 horas. Com a participação dos co-organizadores Nina Santos e Ruan Brito, a programação será a seguinte:

  • Apresentação do ebook
  • Apresentação do artigo “Uma Análise das Comunidades do Orkut Voltadas para Presidenciáveis nas Eleições Brasileiras de 2010″
  • Apresentação do artigo “Democracia, eleições e redes sociais online: uma possibilidade de pluralização do diálogo”
  • Divulgação do link para o público presente fazer download

Não perca!

* Link para ouvir e fazer downloado do chat

Tarcízio Silva – Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da PaperCliQ | Comunicação e Estratégia Digital. Mestrando em Cibercultura no PPGCCC-UFBA e pesquisador, do Grupo de Pesquisa em Interações, Tecnologias Digitais e
Sociedade (GITS – UFBA). Twitter - Facebook - LinkedInBlog

O blog em números – monitoramento

1

Category : chat, mídias sociais, Papos na Rede

Vou apresentar abaixo os números e gráficos do gerenciamento de menções ao Papos na Rede nas mídia sociais que estamos inseridos. O período monitorado pelo Livebuzz foi de 19/03 à 18/04. Lembrando que o blog foi ao ar dia 15/03.

 


Você pode clicar na imagem para ampliá-la, mas os números mostram que o twitter é o grande responsável pelas menções. 3.147  vieram desta mídia, contra 153 do Google blogs e 52 do Facebook.

Os blogs que mencionaram o Papos na Rede são:  Versátil RP, Publicitários FC, Ben Oliveira, Voo do Galo, Mapittom, Publicidade e Cerveja, Blog do Briguilino, Mundo da Informática, Espaço RPTarcízio Silva, Rede SEO, Dig Pronto ,Marketing Digital, Scup, RPitacos, Hospedaria Cultural, Chilli 360, Publika, Marcela Borde, Luds Costa, RP na Rede, Jeny Mendes, além do nosso blog e da Ceschini Consultoria.

Com relação  às menções, o twitter touxe 94%, os blogs 4,6% e o Facebook 1,6%. As palavras buscadas foram: “paposnarede” e “papos na rede”.


Já com relação aos sentimentos: 61,3%   foram menções positivas, 34% neutras e 1,7% não classificado.  Foram classificadas como menções neutras os tweets do @paposnarede e equipe (tanto de tweets, como posts); assim como contas que membros da equipe mantém e deram RT. As menções não classificadas foram buscas que trouxeram as spalavras “papos na rede” fora do nosso contexto de busca.

O relatório de Google Analytics e SEO/SEM será publicado assim que a @nubiasouza fechar o relatório.

Um agradecimento ao TreinaTOM e Livebuzz, equipe e participantes por nos ajudarem nesse projeto.

Aprendendo comunicação digital – canais de vídeos da Google

1

Category : mídias sociais

* Por Tarcízio Silva

Continuando também aqui a série de posts que estou publicando no meu blog com dicas baseadas no post Aprenda comunicação digital: + de 50 fontes de muito conteúdo, vou escrever sobre alguns projetos do Google. A empresa, com certeza admirada por 9 entre 10 leitores deste blog – e temida por outros tantos -, entende que uma empresa do setor e tamanho do Google precisa investir continuamente na educação de seus funcionários. Entre as centenas de projetos em torno de seus escritórios em todo o mundo, alguns envolvem aulas e palestras que são devidamente gravadas e disponibilizadas no YouTube.

O projeto Authors@Google procura levar autores de livros para falarem sobre suas obras. Abaixo duas palestas que recomendo. Na primeira, de 2010, Albert-László Barabási fala sobreseu livro Burst, que procura analisar como o comportamento humano é baseado em padrões identificáveis. A segunda, de 2008, sobre a qual já postei aqui, é uma fala de Stephen Baker sobre seu livro Numerati. Nela, o jornalista explica como percebeu que organizações – como a própria Google – são compostas de novos tipos de profissionais altamente versados em matemática e estatística que têm acesso a grandes quantidades de dados sobre o comportamento de usuários de grandes sistemas tecnológicos – como buscadores e sites de redes sociais. Estes profissionais são os numerati e entendê-los é essencial para compreender o mundo contemporâneo.

O canal GoogleTechTalks reúne palestras sobre diferentes áreas, de negócios à engenharia, passando por direito e artes. Abaixo uma discussão que tenta responder à pergunta: “Publicidade em Televisão influencia a busca online?”

O canal da Google Brasil traz palestras, cases e demonstrações de produtos e recursos. Abaixo um case da Posthaus:

No canal do Adwords Brasil algumas dicas, palestras e tutoriais. Abaixo um seminário online sobre o Google Analytics:


* Tarcízio Silva
– Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da PaperCliQ | Comunicação e Estratégia Digital. Mestrando em Cibercultura no PPGCCC-UFBA e pesquisador, do Grupo de Pesquisa em Interações, Tecnologias Digitais e Sociedade (GITS – UFBA). Twitter Facebook LinkedInBlog